23 de jun de 2008

Venda do Brinco de Ouro abortou

O projeto inicial para venda do estádio Brinco de Ouro abortou e
ainda vai levantar muita polêmica dentro do clube. A empresa
Brazilian Captain, um grupo de captação de investimentos (sem
capital próprio), que vinha tentando viabilizar o negócio, na figura
do advogado Paulo Mancusi (dono da Brazilian Captain) para
possíveis transações envolvendo o patrimônio imobiliário do clube,
não conseguiu nada de positivo. O novo campo e CT estavam
projetados para as margens da rodovia Dom Pedro, no Distrito de Barão Geraldo. Porém,segundo o site Futebol Interior, a Brazilian Captain não fez nenhuma apuração de viabilidade da obra, que depende do Poder Público Municipal. Para surpresa dos dirigentes do Guarani, o grupo
denominado Brazilian Captain não desenvolveu projetos de estudo para o empreendimento
imobiliário no Brinco de Ouro, nem na Prefeitura Municipal e nem projetos de estudo com a
construtora Camargo Corrêa que seria a responsável pelo gerenciamento e comercialização da
área de 3,5 milhões do “Pólo Anhanguera” de propriedade privada e local onde a Prefeitura
pretende implantar um grande centro esportivo, obras sociais e um estádio para sede da Copa de
2014 que poderá vir a ser de propriedade do Guarani, caso algum novo grupo apresente e
viabilize um novo projeto. Hoje não é juridicamente possível em razão de problemas de
zoneamento, já que na Rodovia Dom Pedro, a Prefeitura de Campinas já declarou ser impossível
qualquer projeto em razão do zoneamento de Barão Geraldo. Se o Guarani quiser viabilizar o
projeto de venda do estádio Brinco de Ouro terá que partir para outro projeto, sem qualquer
vínculo com o da Brazilian Captain, que não tinha nem projeto, nem dinheiro e nem representava
empreiteira alguma e nem tinha investidores.

Redação Sport Marketing