25 de jun de 2008

Turismo de Beijing não reage com proximidade dos Jogos

Os desastres naturais que devastaram a China, do terremoto de magnitude 7,9 na província de Sinchuan, as enchentes no sul do país, a repressão das manifestações contra a China no Tibet, o apelo da comunidade internacional pelo boicote aos Jogos e a reação do governo chinês, que passou a dificultar a concessão de vistos e intensificou o controle podem ter sido fatores que afastaram a onda de turistas prevista para os Jogos Olímpicos de Beijing. No ano passado, a imprensa local anunciou que os hotéis de luxo teriam, em breve, registrado 100% de ocupação, com preços que chegariam a 200 mil yuan (quase 19 mil euros) por duas semanas no mês de agosto. Os 5.892 hotéis da capital chinesa se apressaram para oferecer 336 mil quartos e 660 mil camas. De 2004 até este ano, o número de hotéis cresceu de 613 para 815, mas a maioria está praticamente vazio e segundo pesquisa conduzida pelo Centro de Pesquisa do Turismo de Beijing, 63% dos gerentes de hotel esperam prejuízos no final do ano. "A capital chinesa tinha previsão de hospedar cerca de 500 mil turistas estrangeiros durante os Jogos Olímpicos, mas estas estimativas eram muito otimistas" - admitiu o presidente da Associação de Pesquisa Econômica Olímpicas, Chen Jian. A Secretaria do Turismo divulgou as últimas estatísticas sobre o número de reservas dos hotéis, 2% mais baixo do que dois meses atrás. Os turistas que deixaram para reservar quarto na última hora poderão pagar preços mais convenientes do que aqueles que se organizaram com maior antecedência. Por outro lado, o governo da China parece ter dificultado o desenvolvimento do turismo. Conseguir visto de permanência virou missão quase que impossível, assim como visto de turismo, que "no papel" não exige uma documentação complexa. Às centenas de estrangeiros interessados em visitar o país durante os Jogos, são exigidos um registro na polícia, a reserva de um hotel ou o contrato de aluguel de um quarto, e uma conta em um banco chinês com um saldo de 75 euros para cada dia de permanência na China. Não é à toa que muita gente está preferindo ver os Jogos no confortável sofá da sala e em HDTV.

Redação Sport Marketing