10 de jun de 2008

Inflação, falta de energia, altos custos, violência - problemas não faltam na África do Sul

O presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2010, Danny Jordaan, disse à agência Reuters que o custo final das obras de construção e reforma de 10 estádios para o Mundial deve ficar bastante acima do orçamento de 9,8 bilhões de rands (1,24 bilhão de dólares). "Provavelmente ficará acima dos 10 bilhões de rands" - disse Jordaan, acrescentando que o financiamento dos estádios ainda é um desafio. "Estamos negociando agora os custos finais dos estádios, que estão subindo como resultado do enfraquecimento na economia mundial e do aumento do preço dos combustíveis" - acrescentou. Jordaan disse que ainda pode haver novos aumentos de gasto em algumas licitações das cidades que receberão jogos do Mundial, apesar de 94% dos itens já terem sido resolvidos. "Não sabemos qual será o impacto final do declínio econômico em nossos custos. Infelizmente essa é uma meta móvel" - disse ele. A inflação da África do Sul teve alta de 10,4% em abril, recorde dos últimos cinco anos e meio. Além da inflação, outros problemas assolam e preocupam a África do Sul tais como: temores de violência contra estrangeiros, falta de energia e aumento da criminalidade. A África do Sul conquistou o direito de sediar o Mundial de 2010 quatro anos atrás, vencendo uma disputa entre africanos com Marrocos, Egito e uma proposta conjunta de Tunísia e Líbano. "Estou feliz com a velocidade com que estamos progredindo e com o legado que vamos deixar para o futebol do nosso país. Nossos estádios serão de nível mundial" - disse Jordaan. A África do Sul está modernizando cinco estádios e construindo outros cinco para o torneio com 32 seleções. A estimativa inicial para construção e renovação era de pouco menos de 6 bilhões de rands, enquanto outros 13,6 bilhões de rands estão sendo gastos em obras de infra-estrutura ligadas diretamente ao torneio.

Redação Sport Marketing