28 de jun de 2008

Atrás de 'boas ações', boas ações de marketing

Nada no mundo é de graça, nem a própria graça de uma boa ação. Atrás das 'boas ações' de nomes como Ronaldinho Gaúcho e Messi estão sempre boas ações de marketing. Os astros da bola se encontram na Venezuela, onde realizarão a segunda edição do confronto "Amigos de Messi x Amigos de Ronaldinho", um "jogo beneficente" com cara de "jogo de business". O evento será no estádio Monumental de Maturín, no Estado de Monagas, na Venezuela, com capacidade para 52 mil torcedores e carrega a alcunha de jogada de marketing esportivo e político, já que o principal patrocinador do jogo é o governo de Monagas, chefiado por José Gregorio Briceño, do PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela), o mesmo de Chávez. Como não poderia deixar de ser, a propaganda oficial do evento foi carregada de politicagem. No cartaz oficial da apresentação do jogo, aparecem, além da marca do governo de Monagas, as do estádio, que é estatal, e do órgão que administra a arena, também sob tutela de Briceño, destacando o slogan "o governador Briceño leva a Monagas um jogo de outra galáxia". José Gregorio Briceño está em campanha para reeleição e na gestão dele, o futebol já foi acusado de ajudar a divulgar o nome do político, quando na Copa América do ano passado Briceño foi acusado de usar dinheiro público para comprar quase 43 mil ingressos e repassá-los a aliados e eleitores de Monagas, conforme lembra a matéria da Folha online. Além de patrocinar o 'ópio do povo', o governo de Monagas gastou com uma reforma no estádio (cerca de R$ 250 mil) e usou o site para divulgar a venda dos ingressos. "Agradeço ao governo de Monagas pelo grande apoio para a partida", disse o atacante venezuelano Arango, que vai jogar no time dos "Amigos de Messi". A primeira edição do evento, foi no ano passado, aconteceu na Argentina,na província de San Luis e o dinheiro arrecadado foi para fundações mantidas pelos dois jogadores do Barcelona. Na promoção do jogo na Venezuela, não há nenhuma menção de que se trata de um jogo beneficente. Portanto, troca de ingressos por alimentos, nem pensar! As entradas mais baratas custam o equivalente a R$ 75, mas em alguns setores o ingresso custa quase R$ 600. A segunda parada de Ronaldinho será na China, onde, segundo a assessoria da Nike, o jogador vai distribuir 50 bolas para sobreviventes do terremoto que abalou a China recentemente (ver matéria de arquivo Sport Markting - Jogada de marketing dupla leva Ronaldinho à China).

Redação Sport Marketing