11 de mai. de 2008

UEFA luta contra mercado negro da EURO 2008

Já começaram a ser impressos e distribuídos os ingressos para a Eurocopa 2008. Segundo o portal swissinfo.ch, o torneio acontece de 7 a 29 de junho na Suíça e na Áustria está tendo dificuldades em controlar a pirataria, o mercado negro e os cambistas. Portais como o site de leilões Ebay já recebeu a oferta de de 5.500 francos suíços por um ingresso da EURO 2008 enquanto três mil ingressos estão sendo negociados atualmente na bolsa suíça Emticket.net, criada especialmente para a Eurocopa. A escassez de bilhetes e os privilégios dos "torcedores de primeira classe" incentivam o mercado negro e a partir dessa semana a impressão e a distribuição dos bilhetes pela Uefa darão novo impulso. A ameaça da UEFA de aplicar multas de até 5 francos aos envolvidos não inibe ninguém. Uma entrada para um jogo da primeira fase varia de 1.000 a 1.500 francos suíços, dependendo da participação ou não da seleção da Suíça. Para a partida Portugal x Suíça, há ingressos que variam de 300 a 800 francos. O operador da bolsa, Kurt Schwendener, disse ao jornal SonntagsZeitung que nem ele nem qualquer dos clientes até agora sofreu ameaça de punição. No Ebay suíço há mais de 100 ofertas, no Ebay alemão são oferecidos mais de 2 mil ingressos, a preços que vão de 1.000 a 3.300 francos para as semifinais e a final. Revendedores profissionais de ingressos, como o site norueguês Euroteam2008.com oferecem entradas para o jogo Itália x França em Zurique por 1 mil francos. Na plataforma alemã viagogo.de encontram-se ingressos por 1.750 francos (Suíça x Portugal) a 2.000 francos pela partida de abertura do torneio – Suíça contra república Tcheca – na Basiléia. Segundo o SonntagsZeitung, há indícios de que estão sendo vendidos ingressos que a UEFA havia entregue aos patrocinadores. A Federação Holandesa de Futebol, por exemplo, anunciou que a seleção laranja será apoiada do Estádio da Suíça, em Berna, pelo dobro de fãs do que o previsto com base nos ingressos reservados pela entidade. A própria UEFA e a firma Euro 08 SA admitem que a luta contra o mercado negro é difícil. "As leis não permitem agir contra as plataformas de revenda em todos os países" - disse a porta-voz da Euro 08, Pascale Vögeli. Segundo ela, o comércio de tickets na Suíça é legal. Como os vendedores não revelam a identidade e nem o número de referência dos bilhetes na internet, a UEFA dificilmente consegue pegar alguém. Um total de 8,7 milhões de torcedores se candidataram para os 346 mil tickets vendidos no "mercado livre" – do total de 1,05 milhão de bilhetes. A maioria saiu de mão vazias. Enquanto isso, a UEFA garantiu entradas aos "amigos" da entidade, patrocinadores, políticos, às cidades-sede e aos cartolas das nações participantes (leia mais sobre isso na coluna à direita). Um exemplo: dos 42.500 ingressos para o jogo de abertura do Euro, entre a Suíça e a República Tcheca, dia 7 de junho na Basiléia, 1.275 foram para a "família Uefa", um número igual para os VIPs, 3.400 em forma de pacotes de luxo para empresas, 5.950 para patrocinadores, meios de comunicação, entidades esportivas e supermercados. Para os torcedores suíços restaram 12.155 ingressos. Espera-se deles que criem um clima de festa no estádio, enquanto os "frustrados" devem se contentar em conseguir uma entrada para assistir aos jogos diante de telões instalados em locais públicos.

Redação Sport Marketing