11 de mai. de 2008

Gastos da Copa de 2010 aumentam

Os gastos para organizar o evento serão maiores do que o previsto inicialmente. A conta, que será integralmente paga pelo governo da África do Sul, já passou de 8,2 bilhões de rands (cerca de R$ 1,8 bilhão) para 9,8 bilhões de rands (pouco mais de R$ 2 bilhões). Serão 10 estádios, em nove cidades diferentes - haverá duas arenas em Johanesburgo. O governo sul-africano vai bancar a construção de cinco deles e a reforma dos outros cinco. "Muitas obras estão sendo feitas com fornecedores estrangeiros e há variações de preço e de câmbio que não podemos prever"- justificou o dirigente sul-africano Danny Jordaan durante entrevista coletiva no Indaba, principal feira de turismo da África do Sul, realizada em Durban. "Na semana que vem, por exemplo, vamos ao Iraque, para acompanhar a fabricação da cobertura do estádio de Porth Elizabeth (uma das sedes da Copa de 2010)" - finalizou o presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2010. O Comitê Organizador da Copa de 2010 exibiu um vídeo sobre os "mitos" que cercam a organização do primeiro Mundial de futebol disputado no continente africano. Um dos mitos diz que a Fifa tem um "plano B", caso a África do Sul não consiga organizar a Copa do Mundo. "Isso não existe. Os parceiros comerciais da FIFA nunca assinariam contratos conosco se existisse um plano B" - defendeu Jordaan. "Os patrocinadores não estão pagando um centavo a menos porque a Copa vai ser aqui. Ao contrário". Jordaan garantiu que haverá uma cota de ingressos mais baratos de venda exclusiva na África do Sul. De um total aproximado de 3 milhões de tickets para os jogos, cerca de 130 mil serão vendidas em rands, a moeda local. As demais, apenas em dólares. A Copa do Mundo será realizada entre 11 de junho e 11 de julho de 2010. "Mas aqui ninguém reclama", revelou Jordaan.

Redação Sport Marketing