15 de mai. de 2008

FIA pretende fazer corte progressivo de custos

110 milhões de euros (cerca de R$ 281,6 milhões). Este é o teto do orçamento que a F1 quer para a temporada de 2011. De acordo com a revista Autosport, o limite de investimentos deve ser introduzido no começo do próximo ano. A meta, segundo o consultor da FIA, Tony Purnell, é fazer um corte progressivo dos custos sendo que o objetivo de 2009 é um máximo de 175 milhões de euros, no ano seguinte 140 milhões de euros e, em 2011, 110 milhões.O limite não cobriria gastos com os motores, o sistema recuperação de energia cinética, as ações de marketing e nem os salários de pilotos e chefes de equipe.

Redação Sport Marketing