10 de abr. de 2008

Sport Marketing estréia colaborador em São Francisco

O Sport Marketing tem a honra de apresentar nosso colaborador em São Francisco, o brasileiro Bruno Arakaki que estréia em grande estilo, em ritmo olímpico. Bruno faz intercâmbio entre a San Francisco State University e a Escola de Educação Fisica e Esporte da USP, estuda marketing e é estagiário da Bay Area Sports Organizing Committee, organização realizadora da candidatura de Salt Lake City 2012 e parceira do Comitê Olímpico Americano. Como boas vindas ao Bruno, segue a coluna dele exclusiva ao Sport Marketing sobre a passagem da Tocha Olímpica. Vai dái Bruno! Seja bem-vindo ao Sport Marketing!

Saudações Olímpicas

Deborah Ribeiro - Diretora Sport Marketing




(Fotos: Bruno Arakaki)


Esconde-esconde pela Paz em São Francisco


"Nessa quarta-feira, zêlo pela seguranca e garantia da liberdade de expressão foram os fatores determinantes para a tomada de decisão referente a completa mudanca no trajeto percorrido pela Tocha Olímpica" - disse o prefeito de São Francisco, Garvin Newsom em entrevista pos-evento à NBC, rede detentora, com exclusividade, dos direitos de transmissâo dos Jogos Olímpicos da China para os Estados Unidos. O símbolo desapareceu das ruas de São Francisco minutos após ter iniciado o percurso e só ressurgiu cerca de uma hora depois, a uma distância de quase três quilômetros do ponto inicial. Depois do sumiço, o símbolo reapareceu em um ponto distinto da cidade, longe do público. Alegando condições desfavoraveis para uma condução da Tocha Olimpica segura, o ponto de partida foi transferido das margens da Baia de São Francisco, ao lado do "AT&T Park", Estádio do time de baseball "San Francisco Giants", para uma área central, enlouquecendo jornalistas e surpreendendo moradores desavisados em ruas imprevistas na rota publicada. A nadadora chinesa Lin Lee, primeira a participar do Revezamento, recebeu a chama com atraso - o percurso deveria ter começado às 13 horas locais (17 horas de Brasília) -, rodeada por agentes de segurança chineses. De acordo com um porta-voz das forças públicas, o caminho que seria percorrido pela Tocha estava bloqueado por manifestantes. A rota, além de alterada, foi reduzida dos 10 quilômetros iniciais para 5,5 quilômetros. A mudança foi referendada pelo prefeito de São Francisco, Gavin Newson. A estratégia, apesar de ter privado parte da população da felicidade de se encantar com a Chama, parece ter atingido o objetivo. Mesmo com grande público nas ruas expressando suas opiniôes, foi mínimo o número de desobediências civis e protestos. Passeatas clamavam pela situacao política do Tibet, placas apelavam para diversas discussões enquanto a maciça comunidade chinesa estusiasticamente apoiava seu país. Não foi à toa que a China fez questão de incluir São Francisco como a única cidade nos Estados Unidos, onde a Tocha iria percorrer, a maior cidade de contigente chinês da América do Norte. Após renovar as energias na maravilhosa ponte "Golden Gate", a Tocha Olímpica seguiu ao aeroporto de São Francisco de onde partiu para Buenos Aires próxima cidade a receber o Revezamento. Nessa sexta-feira, o Comitê Olímpico Internacional se reúne para discutir questões sobre as futuras paradas da Tocha pelo mundo, assegurar troca de informações sobre erros e acertos na organização e apresentar novas ações táticas utilizadas já em São Francisco como a Seguranca Nacional Chinesa como primeiro cordão protegendo os condutores do Fogo Sagrado de Olympia. A imagem final e positiva e Sao Francisco demonstrou que é possível ter controle, embora os valores atrelados ao Movimento Olimpico que poderiam ser melhor degustados com a passagem da Tocha, ainda se dispersem em meio à mudanca de foco gerada pelos fatos ocorridos em Londres e Paris.

Boa sorte aos amigos argentinos.

Bruno Arakaki - Colaborador Sport Marketing em São Francisco