30 de abr. de 2008

Fase nada fenomenal de Ronaldo

O escândalo com travestis um motel na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, poderá custar ao brasileiro Ronaldo, do AC Milan, o patrocínio vitalício que tem com a Nike, que está avaliado em 100 milhões de euros. Como a fase de Ronaldo não tem sido nada fenomenal, tudo pode acontecer. Além de perder a namorada, a estudante Maria Beatriz Antony, que ao saber da situação abandonou o jogador brasileiro, a Nike, segundo o jornal A Bola, está estudando romper o contrato milionário. A empresa norte-americana considera que este incidente poderá afetar a imagem da empresa e pretende rescindir unilateralmente o contrato com o jogador brasileiro. Ronaldo teria contratado os serviços de três travestis, pensando que eram mulheres, e ido para um hotel. No entanto, o goleador brasileiro ao perceber o erro tentou sair da situação, tendo pago a dois dos indivíduos cerca de 600 dólares, mas o terceiro tentou chantageá-lo e exigiu cerca de 50 mil reais para não divulgar o caso a imprensa. O agente do atleta, Fabiano Farah, afirmou que a Nike não teria o direito de rescindir o contrato, pois para isso o jogador teria de ser condenado pela Justiça. “O que ocorreu não é de âmbito legal. Esse tipo de recurso não cabe a nenhum contratante do Ronaldo, nem está legitimado em qualquer contrato do jogador, até porque, para uma rescisão contratual, Ronaldo deveria ser condenado publicamente. Mas ele não cometeu nenhum crime, não infringiu nenhuma lei" - comentou Farah, quem acredita que Ronaldo seja a única vítima do caso. O jogador, ao lado do golfista Tiger Woods e do ex-jogador de basquete Michael Jordan, é um dos que mais renderam dinheiro à Nike. No auge da carreira, o Fenômeno já endossou sete grandes empresas ao mesmo tempo. Atualmente, é garoto propaganda somente da Nike e da Ambev, cujo contrato termina no final deste ano e que segundo rumores não será renovado. Com a empresa de bebidas, o contrato é de aproximadamente US$ 1 milhão de dólares por ano (valor semelhante ao pago pela Nike), mas com uma cláusula que reduz a quantia para US$ 800 mil se Ronaldo não estiver na seleção brasileira. A última vez que Ronaldo vestiu a camisa do Brasil foi na Copa do Mundo de 2006. Com faturamento anual estimado em cerca de R$ 35,4 milhões nesta temporada 2007/08, Ronaldo tem 67% desse bolo como ganhos com publicidade (cerca de R$ 23,8 milhões).

Redação Sport Marketing