18 de abr. de 2008

Não é "Mosley", não!

Demorou, mas escândalo sexual envolvendo o presidente da FIA, Max Mosley respingou na F1 e nas empresas que estão ligadas ao circo do automobilismo. Porsche e Volkswagen desistiram de participar da F-1. Alegaram que os boatos fizeram com que o esporte deixasse de ser atraente para as montadoras. O presidente da Volkswagen, Ferdinand Piech disse à revista alemã "Stern" que investir 300 milhões de euros por ano é queimar dinheiro. "E depois do caso de Max Mosley com as mulheres, não seria muito agradável se envolver na F-1 agora", acrescentou Wolfgand Porsche, da Porsche. A Porsche está no processo de aquisição da maioria das ações da Volkswagen. Ambas as companhias alemãs foram vistas como participantes potenciais da F-1 no passado. As montadoras alemãs Mercedes, que detém 40% da McLaren, e BMW lançaram um comunicado conjunto neste mês, questionando o futuro do inglês na direção da categoria. A FIA marcou uma reunião para votar o caso Mosley.

Redação Sport Marketing