30 de mar de 2008

Samaranch não está nem aí para políticos

"Se alguns políticos não querem ir à cerimônia não fazem nenhuma falta. Os que fazem falta são os atletas", declarou Samaranch em entrevista ao jornal espanhol ABC. Juan Antônio Samaranch, 87 anos, que presidiu ao COI - Comitê Olímpico Internacional entre 1980 e 2001, afirmou que, pessoalmente tem "uma relação muito intensa com a China", país que conhece há 30 anos e que "conheceu uma mudança impressionante" nesses anos. O antigo presidente do COI assinala que os que pedem o boicote aos Jogos de Beijing devido à situação no Tibet deveriam lembrar-se que a China se demarcou do boicote aos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. Samaranch afirma que "vale a pena recordar agora" que a entrada da equipe da China no estádio Olímpico de Los Angeles foi recebida com "uma das maiores ovações" que ouviu na vida. Alguns responsáveis políticos têm admitido um boicote aos Jogos Olímpicos de Beijing, nomeadamente através da recusa de participação na cerimônia de abertura, em protesto contra os incidentes que se registaram no Tibet e a repressão das autoridades chinesas. A União Européia decidiu apelar simplesmente para um "diálogo construtivo" entre as autoridades chinesas e o Dalai-Lama, Tenzin Gyatso, líder espiritual tibetano, não se pronunciando em relação a um eventual boicote, que tem sido rejeitado pela maioria dos responsáveis políticos mundiais e recusado pela maioria dos dirigentes esportivos olímpicos.

Redação Sport Marketing