4 de mar. de 2008

Ministro do esporte desmente acusações

O ministro do Esporte, Orlando Silva, classificou como sem fundamento as acusações feitas pela revista Veja na reportagem “A caixa-preta dos comunistas”, publicada na edição do último sábado (1º). A matéria denuncia um suposto favorecimento e desvio de dinheiro na escolha de organizações não-governamentais (ONGs) para receber recursos do programa Segundo Tempo, voltado a tirar crianças da rua e jovens de situação de risco, oferecendo atividades esportivas e alimentação. Segundo a reportagem, essas ONGs são ligadas ao PCdoB, partido do ministro Orlando Silva. O texto afirma que as “ONGs escolhidas a dedo receberam repasses milionários, simularam a criação de núcleos de treinamento, registraram alunos-fantasma, fraudaram as prestações de contas e surrupiaram parte dos recursos que deveriam ajudar crianças carentes”. A reportagem também diz que existe suspeita de desvio de dinheiro para financiar campanhas políticas do PCdoB. Silva falou aos jornalistas após se reunir com dirigentes de clubes paulistas de futebol. Afirmou que não há nenhum caso concreto denunciado e que a reportagem é uma opinião política. “É uma posição política, uma posição, na minha opinião, muito preconceituosa por parte da revista Veja. Creio que não é correto incriminar entidades não-governamentais, muitas delas são parceiras positivas. É preciso mais rigor quando se fazem denúncias”, disse. De acordo com o ele, o ministério respondeu durante seis semanas aos questionamentos da revista. “Não vimos nenhuma das nossas respostas publicadas”, afirmou. “A sociedade cada vez mais tem capacidade crítica e percebe que o que se tem ali é uma opinião editorial. Um posicionamento político, infelizmente isso faz parte do jogo.”

Redação Sport Marketing