1 de mar. de 2008

Juros assolam clubes portugueses

Quando o assunto é dívida, muitos clubes na Europa dividem o mesmo dilema. Entre entre os três maiores clubes portugueses, o Porto, o atual campeão, é o que tem uma dívida bancária mais baixa e paga menos juros.Em termos de dívidas, o clube mantêm um total de 60,7 milhões de euros em empréstimos bancários e 14,5 milhões de euros do empréstimo obrigacionista. Já o Benfica e o Sporting têm realidades diferentes. O Sporting pagou em juros 17 milhões de euros na temporada passada, já o Benfica teve uma despesa de 9,8 milhões. No total foram 27 milhões de euros que ficaram "cativos" para pagar os custos dos elevados passivos e que deixaram de estar disponíveis para reforçar os plantéis durante o período de transferências. A dívida do Sporting até sofreu uma redução, baixando de 271 para 238 milhões de euros. No entanto, a forte subida das taxas de juros durante esse período, justifica o "salto" de 30% que os juros do clube registaram de uma temporada para a outra (de 13 para 17 milhões de euros). No Benfica as dívidas do clube caíram, em 2006/07, de 224 para 214 milhões de euros. Mas, o montante dos juros subiu de 8 para 9,8 milhões de euros. O presidente do Sporting, Filipe Soares Franco, já revelou que renegociar os termos do acordo de financiamento é, em curto prazo, uma das prioridades do time. O objetivo é reduzir as despesas com os juros, renegociando as taxas de juros, incluindo as margens cobradas pelos bancos (spread). Com passivos tão elevados, o Sporting não teve como comprar os direitos de jogadores como o búlgaro Dimitar Berbatov ou ou holandês Ruud van Nistelrooy. Já o Benfica ficou distante na disputa pelo passe do francês Nicolas Anelka e do brasileiro Elano.

Redação Sport Marketing