14 de mar. de 2008

Irregularidades de sobra nas fábricas da Nike China

A Nike Inc, fabricante de tênis e materiais esportivos, disse ter encontrado documentos falsificados, trabalhadores menores de idade e salários não-pagos em fornecedores na China, que, segundo especialistas, têm um dos regimes industriais de maior submissão social. Em seu primeiro relatório específico da rede de fornecedores, que focava na China devido aos Jogos Olímpicos de Being, a Nike detalhou as tentativas que tem feito para estabelecer uma concordância entre o código de conduta da empresa e as leis chinesas, incluindo um programa de monitoração dos fornecedores relacionados aos Jogos. "Enquanto a China continua o desenvolvimento, enxergamos progresso e melhores práticas emergindo", diz o relatório, publicado no início do mês no site da Nike. "Mas assim como nossos parceiros em outros países, as fábricas que contratamos na China continuam enfrentando desafios". O relatório informa que a China é a maior fonte de produtos da Nike, com 180 fábricas e cerca de 210 mil empregados. No ano passado, a Nike fez um programa para conhecer a identidade de 150 mil dos empregados na China e achou 167 casos de pessoas com idade menor do que a permitida quando foram contratadas, mas que agora possuíam 18 anos ou mais. Foi descoberto que dois empregados eram menores de idade. Salários em alguns lugares não seguiam os valores determinados pelo governo, disse o relatório. As ações da companhia registraram nesta sexta-feira uma queda de quase 2% na Bolsa de Valores de Nova York.

Redação Sport Marketing