22 de mar. de 2008

Canceladas transmissões ao vivo da Praça da Paz

Quem não se lembra dos fatos que antecederam a foto ao lado? Era 1989, quando a Praça da Paz Celestial, na China, foi palco das cenas mais brutas da história da repressão militar chinesa durante manifestações em defesa da democracia. Pois bem, dezenove anos depois, a China aparentemente preocupada pelos recentes protestos no Tibet e a possibilidade de manifestações no centro da capital do país pretende proibir as transmissões de televisão ao vivo da Praça da Paz Celestial durante os Jogos Olímpicos. A proibição das transmissões ao vivo arruinará os planos da NBC e de outras redes internacionais de televisão, que pagaram centenas de milhões de dólares pelos direitos de transmissão dos Jogos e esperam fazer tomadas ao vivo da praça. O governo chinês havia prometido às cadeias que poderiam usar a praça, mas essa nova postura acontece no momento em que as autoridades do país enviaram tropas às zonas do Tibet, destruídas por protestos contra o governo de Beijing e, em meio ao aumento na segurança em outras cidades, aeroportos e zonas de lazer. "A praça é o rosto da China, o rosto de Beijing" - disse Yosuke Fujiwara, chefe de relações públicas da Beijing Olympic Broadcasting Co. (BOB), uma parceria entre os organizadores locais dos Jogos e uma subsidiária do Comitê Olímpico Internacional (COI). A BOB coordena e fornece serviços técnicos para as cadeias de televisão que têm direitos de transmissão do evento, como a NBC. Contudo, esta semana as autoridades do BOCOG -Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Beijing disseram à BOB que as transmissões ao vivo estão canceladas, segundo três pessoas ligadas ao assunto, que pediram o anonimato porque não estão autorizadas a falar com a imprensa. "Não foi dada nenhuma explicação para a mudança", disse uma das pessoas. Sun Weijia, diretor do BOCOG encarregado da coordenação com a BOB, não fez comentários a respeito.

Redação Sport Marketing