14 de fev. de 2008

Timão e a alquimia de transformar ferro em ouro

O marketing do Corínthians tem realizado verdadeiras alquimias e transformado o ferro do rebaixamento em ouro! Pelo menos no que diz respeito às cotas de patrocínio. Fechou um acordo milionário com a Medial Saúde - R$16 milhões por ano e, agora, o clube deve anunciar nos próximos dias a renovação de contrato com a Nike. A polêmica camisa roxa da Nike também vem dando o que falar e garantindo para o Timão, um espaço considerável tanto na mídia quanto no coração dos torcedores que estão comprando a rodo o produto. A identificação com o momento delicado do clube é inegável e foi uma ótima jogada de marketing transformar o negativo em algo positivo ao time. A cota do novo vínculo do Corínthinas com a Nike será dobrada e passará dos atuais R$5 milhões ano para R$10 milhões. O contrato atual com a Nike vale até o final de 2009. A empresa paga R$ 5 milhões para ser a fornecedora exclusiva do clube, mas o valor cresce com o que é gasto com a confecção e distribuição do material (quase R$ 2 milhões a mais). Esse valor, entretanto, não entra no cofre corintiano. Só falta um detalhe para Nike e Corinthians assinarem o novo acordo: o tempo de validade do novo contrato. A duração da parceria ainda está pendente, mas uma coisa é fato, a marca Corínthians segue valorizada! Outro patrocínio em negociação é o da manga da camisa. Nos próximos dias poderá ser anunciada um acordo com empresa mantida em sigilo. Mas a questão é mais complexa, já que a manga pertence à Medial Saúde, já que contratualmente, há uma brecha para que uma outra empresa compre a manga. Mas do valor a ser pago, 85% é da Medial Saúde e 15% do clube. A outra notícia boa que andou movimentando os bastidores do futebol paulista é que o Timão finalmente terá um estádio. A casa da Fiel custará R$350 milhões e ficará a dois quilômetros do Parque São Jorge, na Zona Leste de São Paulo. A idéia é fazer a praça esportiva com 77 mil lugares, uma homenagem ao título conquistado em 1977, quando a equipe saiu de uma fila de 22 anos sem título. Segundo as más línguas, a empresa construtora ainda não consumou a compra do terreno, o que deverá acontecer até o dia 22. A expectativa é que o estádio esteja em pé até 2010, já que a Copa de 2014 será realizada no Brasil.